Layout Modelo Nfe 4.00

A obrigatoriedade do layout da NFe 4.00 foi prorrogado mais uma vez, sendo que o layout anterior 3.10, irá parar de funcionar agora em 02/08/2018.

Se você já atualizou os seu sistema para versão 18.24, fique tranquilo, que a sua verão já contempla esse novo layout.

Caso você ainda não tenha atualizado, entre em contato com nosso suporte para fazer essa atualização o quanto antes.

Relembramos que a partir de 02/08/2018, você não irá conseguir transmitir notas usando o layout antigo.

Rejeição 328: CFOP de devolução de mercadoria para NFe que não tem finalidade de devolução de mercadoria – Como resolver?

Quando for emitida uma NF-e com CFOP de Devolução de Mercadoria e a Finalidade da NF-e (finNFe) for diferente de 2 – “NF-e Complementar” ou 4 – “Devolução de Mercadoria”, será retornado a rejeição “328 – CFOP de devolução de mercadoria para NF-e que não tem finalidade de devolução de mercadoria”.

Se a emissão da sua NF-e é para a Devolução de uma mercadoria, então você deve alterar a Finalidade da NF-e para 4 – “Devolução de Mercadoria”. E se sua NF-e não for de Devolução, então você deve corrigir o CFOP e escolher um que se adeque a Operação.

Em caso de nota fiscal de devolução deverá também ser informado a chave da nota que esta sendo devolvida.

Ressaltamos também que CFOP 5.949 ou 6.949 não são do tipo devolução. Esses CFOPs são considerados como simples remessa, então deve ser usado a opção NFe-Normal.

Para CFOPs de garantias tempos: 5.202, 6.411, entre outros. Em caso  de duvidas, entre em contato com o seu contador ou com o fornecedor a qual você precisa fazer a devolução.

Rejeição 898: Data de vencimento da parcela não informada ou menor que Data de Autorização – Como resolver?

Essa é uma nova regra para o layout 4.00 da NFe. Para essa Regra de Validação não há exceções. Sempre que informado o grupo de Parcelas de cobrança a data de vencimento da parcela deve ser preenchida com uma data maior que a data de autorização do documento.

Certificado digital: Recomendamos modelo A1

 

A principal diferença entre os certificados A1 e A3 é a geração e o armazenamento das chaves criptográficas (arquivo digital, token ou cartão).

  • A1: é o arquivo digital gerado e armazenado no próprio computador pessoal do usuário, com validade de 1 ano.
  • A3: Disponível em token ou cartão, pode ser utilizado em apenas 1 computador por vez, com validade de 1 a 3 anos.

Nos recomendamos a aquisição do modelo A1, pois ele tem várias vantagens:

– poderá instalar o certificado em diversas máquinas, dessa forma pode emitir NFe ou NFCe em mais de um local;
– não é necessário comprar leitora de cartão.
– não será preciso se preocupar com instalação e problemas recorrentes que podem ocorrer junto com ela (erro 90);
– maior velocidade de emissão, visto que o certificado A1 possibilidade a utilização da API;
– funciona com aplicações em nuvem e remotas;

As novas tecnologias que estão surgindo, em especial as aplicações em nuvem, que podem ser acessadas de qualquer lugar exigem que seja usado o certificado A1, pois este modelo não tem limitação física.

Assim se a sua empresa está para comprar ou renovar o seu certificado, escolha o modelo A1 para não ter limitações.

Como Alterar o Juros e a Multa do Boleto

Precisa alterar o Juros ao dia e a Multa por atraso do Boleto?

A melhor opção é acessando os Parâmetros do Sistema.

O acesso a tela de Parâmetros é feito de acordo com o caminho digitado:  “Configurações>Parâmetros do Sistema> Aba Financeiro”.

Na imagem a seguir, dentro do retângulo em vermelho indica a aba Financeiro e o local para definir como padrão os valores do Juros Dia (porcentagem), Multa Atraso  (porcentagem) e Taxa Boleto.

Note que os valores dos campos Multa Atraso (2,00%) e Juros Dia (1,00%) estão em porcentagem.

Nos campos marcados na imagem, colocar os respectivos valores de acordo com as regras da empresa, então, após a alteração, clicar no botão Salvar.

No SiEventos o caminho é semelhante, porém, muda-se o nome da Aba: “Configurações>Parâmetros do Sistema> Aba Contas Receber”.

Na imagem, temos a aba Contas Receber e os campos Multa Atraso, Juros Dia e Taxa Boleto.

Assim, ao acessar a tela de Geração de Boletos Bancários, os valores definidos nos Parâmetros do Sistema aparecem na tela, conforme mostra na imagem a seguir:

A área destacada por um retângulo em vermelho mostra os valores em porcentagem do Juros Dia e Multa por Atraso.

Siglas do Ponto de Venda (PDV)

 

PDV pode ser definido de várias formas, mas em se tratando de varejo e principalmente no ERP, PDV é Ponto de Venda – é o local onde são realizadas as vendas ao consumidor final. O PDV é composto por diversos equipamentos, inclusive software.

Conheça outras abreviações:

ECF

Emissor de Cupom Fiscal – é a impressora de cupom fiscal. Normalmente conectada ao computador pela PORTA SERIAL. Os modelos mais novos permitem a conexão através da USB. Foi a solução adotada inicialmente por todos os Estados no Brasil. Atualmente, embora a todos os Estados ainda o aceitem, muitos deles estão migrando para o SAT ou NFC-e.

 

NFC-e

Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica. Similar à NF-e (Nota Fiscal Eletrônica), a NFC-e é um documento fiscal eletrônico, transmitido pelo estabelecimento comercial para a Secretaria da Fazenda pela internet no ato da compra. Exige uma conexão ativa da internet, sendo que há regras de contingência, no caso de falta de conexão. Essa solução tem sido a preferida por vários Estado brasileiros, que vêm migrando do ECF. O documento fiscal impresso tem características similares ao CF-e.

 

SAT

Sistema Autenticador e Transmissor. O SAT é um equipamento utilizado para emissão do cupom fiscal eletrônico – CF-e – com assinatura digital e envio dos dados para a Secretaria da Fazenda.

Não há necessidade da instalação de um equipamento por caixa, já que ele pode ser compartilhado por vários caixas em uma mesma loja. A transmissão é feita automaticamente pelo equipamento. Em casos de falta de conexão com a internet, o SAT guarda as informações e as transmite tão logo a conexão seja reestabelecida.

 

TEF

Transferência Eletrônica de Fundos – é o sistema gerenciador das transações de cartões em sua loja. Quando o varejista deseja disponibilizar o recebimento de cartões simultaneamente em diversos PDVs, ele utiliza o TEF. Ela concentra a venda em cartões de todos os pontos de venda da loja ou até mesmo de todas as filiais da empresa.

Cadastrar uma Cidade

Para acessar a tela de cadastro no sistema, seguir o caminho indicado: “Cadastros Gerais>Cidades e Estados>Cidade”.

No exemplo está sendo utilizado o SiEmpresarial, porém, todos os nossos softwares seguem a mesma ideia na tela de cadastro de cidade.

Na tela de cadastro de cidade, antes de adicionar um novo registro, verificar pela opção de pesquisa a cidade que será cadastrado, conforme indicado na imagem:

A consulta das cidades é feita pelo nome, então, temos na imagem a seguir, a busca pelo cadastro do município de Fernando de Noronha:

Note na imagem, digitando parte do nome da cidade o sistema listou as cidades com o nome parecido com o digitado, porém, o registro do município de Fernando de Noronha não consta na lista, ou seja, cadastraremos Fernando de Noronha.

Lembrando: Os registros pesquisados na imagem acima, estão com status A, ou seja, está ativo, na consulta pela cidade, verificar com o campo Ativo marcado e pesquisar com o campo desmarcado.

Na tela de cadastro, clicamos na opção Novo, possibilitando a criação de um novo registro:

Na imagem acima, foram digitados todos os dados pertinente a cidade de Fernando de Noronha. Com todos os dados preenchidos ou não, informações obrigatórias para o funcionamento da transmissão de nota fiscal é o Nome da Cidade, Estado e IBGE.

Código IBGE

O código do IBGE é fundamental para o funcionamento de transmissão de nota fiscal, para obtê-lo, acessamos o site: https://cidades.ibge.gov.br

Na página do IBGE, digitar no campo de pesquisa o nome da cidade, no local indicado na imagem, seguindo o exemplo:

Clicando na cidade, o site exibe as informações pertinentes a cidade, uma delas é o código do IBGE da cidade:

O retângulo vermelho destaca a informação que precisamos, digite esse código no campo IBGE no cadastro da cidade.

Cadastrar Banco e Agência

Para acessar a tela de cadastro do banco e agência, conforme o caminho indicado e como consta na imagem abaixo: “Cadastros Gerais>Banco e Agências”.

Na pesquisa pelos bancos, verificar se o banco que precisa cadastrar não está na lista ou digitando o código do banco, assim, o sistema faz a busca do registro.

Na imagem acima, o código digitado inexiste nos registros do sistema, então, o sistema informa que não existe o registro  e pergunta se deseja criar um novo cadastro, clicando em “Sim” para criar um novo cadastro.

Preencher o nome do banco e salvar o registro.

Agora, vamos incluir uma Agencia. Seguindo com o exemplo anterior, criamos um novo registro e salvamos, ele está aberto na tela, agora na parte inferior da tela de cadastro de Bancos, temos dois botões, Excluir e Incluir, como o próprio nome diz, podemos excluir uma agencia e incluir uma agencia. Clicando no botão Incluir, a tela de cadastro de agencia aparece. No exemplo abaixo, foi criado um registro apenas demonstrativo:

 

Depois de preencher os dados, concluir o cadastro clicando no botão Incluir, então, a agencia é vinculada ao banco.

Finalizando, basta salvarmos o registro e pronto, agora temos as informações de um banco e agencia cadastrados.

Cadastrar Conta Corrente e Liberar o Acesso

Cadastrar Conta Corrente e Liberar o Acesso

As contas correntes são usadas em todos os débitos (contas a pagar) e em todos os crédito (contas a receber) da empresa. Você deverá cadastrar ao menos uma conta corrente para centralizar os recebimentos e pagamentos, porém nós recomendamos muito que você cadastre todas as contas que a empresa possui para que no momento das baixas seja informado a conta corrente correta. Alem disso, só dessa maneira você irá conseguir utilizar corretamente a movimentação financeira e os outros relatórios gerenciais disponíveis no sistema.

Para acessar a tela, basta seguir os passos como indicado na imagem: “Cadastros Gerais>Conta Corrente”.

Antes de criar um novo registro (conta corrente), verificar as contas existentes, e assim, confirmar a inexistência da conta que precisa utilizar. Com a tela de cadastro de contas correntes aberta, clicar no local indicado:

Abaixo está a tela de pesquisa, pode-se pesquisar pelo nome do banco, pela descrição (número da conta) e pelo nome interno.

Aba “Gerais”

Com a tela de cadastro aberta, para criar um novo registro, no campo Codigo, indicado com uma seta em vermelho, digitar um número em sequência do último número exibido na tela (indicada com um quadrado vermelho).

O sistema exibe uma mensagem, indicando que o registro não foi encontrado e pergunta se deseja incluir um novo registro.

Incluindo um novo registro, agora deve-se preencher os campos com as informações pertinentes à conta (Nome Interno, Número Conta, Digito Conta, Banco e Agência), o . A opção Nome Interno é definido pelo usuário, de acordo com o uso da conta.

Lembrando: Nos campos referente a Banco e Agência são dados que precisam ser inseridos no sistema, ou seja, cadastrar o banco e agência. Para acessar a tela, basta seguir os passos como indicado na imagem: “Cadastros Gerais>Banco e Agências”.

Mais informações sobre o cadastro de Banco e Agência: http://suporte.f5sg.com.br/?p=1634

Após o preenchimento dos dados pertinentes à conta, salvar o registro. Pesquisar a conta, o campo correspondente à Empresas da Conta, vincular a empresa que utiliza a conta (apenas para os usuários duas ou mais empresas ativas cadastradas no sistema).

 

Confirmando que todos os dados inseridos estão corretos, basta clicar no botão Salvar.

 

Liberar o Acesso

Aos usuários do sistema, para usar as contas existentes, precisa liberar na permissão. “Configurações>Configurar Permissões”.

Selecionar o usuário no campo indicado na imagem, clicar na aba 2. Acesso a Contas Correntes, e na tabela com as contas correntes clicar em Permitido no local indicado pela seta em vermelho, o campo é preenchido com um “X”.

Depois de ajustar a permissão de acesso a uma conta, clicar em Salvar, pronto, agora o usuário tem acesso a conta corrente.

Anexando Comprovante de Pagamento no Sistema

Anexar o comprovante de pagamento no sistema evitar de fazer impressões de todos os comprovantes e também é uma forma centralizada de acesso a esses comprovantes. Assim, todos os usuário que tem acesso ao contas a pagar também terão acesso aos comprovantes, evitando dispêndio de tempo para procurar o comprovante em pastas ou arquivos. Ajuda também a você sempre manter uma copia de segurança do comprovante.

Diretório do Comprovante

Para usar essa ferramenta, primeiramente você deve-se indicar o diretório de armazenamento dos comprovantes nos parâmetros do sistema. Na imagem a seguir, mostra a forma de acessar os Parâmetros do Sistema:

Ao abrir a tela de Parâmetros do Sistema, estará na aba Geral, clicar na aba Financeiro (indicado na imagem abaixo com a seta em vermelho). O campo com o caminho do diretório está destacado na imagem com um retângulo.

O diretório deve ser preferencialmente no próprio servidor ou em algum outro servidor da empresa, para que possa se acessado de qualquer computador. Na imagem, como servidor, foi referenciado uma máquina na rede, assim, todos os comprovantes devem ser salvos no diretório indicado (Diretorio deve ser no servidor ou outra máquina que todos os computadores na rede tem acesso, exemplo: \\SUPORTE-PC\SIEMPRESARIAL\COMPROVANTES\).

O acesso ao diretório é simples, primeiro, copiar o caminho do diretório, abrir qualquer pasta no computador e colar no Windows Explorer, pressionar o botão ENTER, agora é exibido o conteúdo da pasta Comprovante. A imagem a seguir, destaca o local para colar o caminho do diretório e um arquivo no formato PDF e o nome é o número do contas a pagar que ele está ligado.

Comprovante

O sistema identifica o comprovante de acordo com o número do contas a pagar, ou seja, deve-se nomear o comprovante com o número de lançamento do contas a pagar. Observe nas imagens a seguir um exemplo:

Observação: Os formatos do comprovante permitidos devem estar em alguma dessas opções: PDF, JPG, JPEG, HTM E HTML.

Imprimir Comprovante

Na tela de Manutenção de contas a pagar, clicar na seta ao lado do botão de Imprimir e clicar no Comprovante:

Por fim, o comprovante é exibido na tela, permitindo a impressão (a imagem abaixo é apenas um exemplo):

Observação: As contas a pagar que não tenha o comprovante  na pasta indicada nos parâmetros do sistema ou o arquivo não está no formato descrito anteriormente na lista, não será impresso.

Uma mensagem é exibida conforme consta na imagem abaixo: